A evolução da digitalização do PDV é um processo que não para. Pois a tecnologia no setor está em contínuo desenvolvimento visando oferecer as melhores soluções para o varejo físico atrair clientes.  

Mas engana-se quem pensa que esta é uma ideia que surgiu recentemente. Ela já existe há algum tempo, porém, foi se reinventando à medida que a tecnologia avançou.   

Há uma história sobre toda a evolução da digitalização do PDV realmente muito interessante. É sobre ela que vamos falar agora.  

Analógico X digital – a evolução da digitalização do PDV  

Quando pensamos em comunicação, as pinturas rupestres nas paredes das cavernas foram as primeiras sinalizações criadas pelo homem.   

Importantes para orientar caminhos e registrar trechos da história da humanidade, elas tinham um problema grave: a falta de padronização. Assim, nem sempre a mensagem era corretamente entendida pelo receptor.  

Foi no ano de 1929 que surgiu o primeiro sinal de neon, criado por engenheiros para orientar o trânsito. Logo, esse recurso passou a ser utilizado pela indústria automobilística para divulgar seus produtos nas laterais de prédios e em suas lojas.  

Ou seja, a propaganda chegou mais perto dos consumidores mas ainda assim, era caro e poucos varejistas podiam pagar tal extravagância.  

Dando sequência a essa rápida viagem pela linha do tempo, a evolução da digitalização do PDV salta para a década de 1970. Nessa época, cada vez mais varejistas apostavam em uma sinalização mais dinâmica para agradar seu público.  

Para isso, usavam playlists gravadas em fitas VHS e monitores para criar uma comunicação mais envolvente no PDV – podemos dizer que do o precursor do vídeo wall.  

Naquela época, isso funcionava. Pois as pessoas não tinham acesso a uma qualidade de imagem mais pura. Nem às telas sensíveis ao toque e design interativo.  

Mas isso mudou quando as fitas VHS deram lugar ao DVD e, depois, aos players reprodutores de mídia orientados por computador.  

Os anos 90 chegam trazendo uma verdadeira revolução: a internet, essencial para impulsionar a evolução da digitalização do PDV.   

A partir daí, tornou-se possível transmitir conteúdo diretamente para o dispositivo. Além do potencial para atualizações em tempo real, entre outros benefícios.  

Assim, a evolução da digitalização do PDV ganhou um novo ritmo.  

A evolução da digitalização do PDV começa pelo nome  

Os modernos displays digitais que vemos hoje são fruto do avanço tecnológico mais recente, quando surgiu o digital signage.  

Inclusive, a expressão “digital signage” nasceu no início dos anos 90, no Reino Unidos, com Neil Longuet-Higgins.   

Tudo isso estava acontecendo (ainda de forma embrionária) na mesma época em que os displays LED estavam começando a se tornar mais acessíveis.   

Mas a virada do século trouxe um novo capítulo para a evolução da digitalização do PDV. Pois a tecnologia foi simplificada e aperfeiçoada – e o formato das telas foi determinante nisso.  

Afinal, a possibilidade de contar com displays de tela plana revolucionou o PDV tradicional, permitindo colocá-los em locais estratégicos das lojas que, entre muitas outras vantagens, ajuda a obter bons resultados em vendas e fidelizar os clientes. Especialmente quando é elaborado um projeto personalizado, considerando as necessidades e adotando soluções certas para sua marca.  

A importância da solução certa para a digitalização do PDV  

Enquanto ganhava popularidade entre o final dos anos 90 e início dos anos 2000, a digitalização do PDV continuou evoluindo. Para isso, utilizam telas LCD, LFD ou LED e com isso, o varejo pode implementar esse sistema e garantir resultados expressivos

A primeira a aparecer no mercado, a tela LCD, surgiu através da descoberta de Richard Williams, quando ele percebeu que os cristais líquidos exibiam algumas interessantes características eletro-ópticas.  

Com a evolução da digitalização do PDV e da tecnologia, aliada ao desenvolvimento progressivo dos computadores, nasceram as telas LFD (Large Format Display).   

Estas são mais indicadas para a digitalização do PDV, pois:   

  • Exibem uma imagem mais rica em cores, têm contraste mais acentuado e com uma alta definição;  
  • Possuem bordas mais finas, o que proporciona um acabamento mais refinado;  
  • Apresentam baixo consumo de energia (redução de 40% quando comparados com o LCD);  
  • Apresentam opções de modelos outdoors, ideias para ambientes de exposição à chuva e altas temperaturas;  
  • Emitem menos dióxido de carbono, substâncias tóxicas ao meio-ambiente;  
  • Podem ficar longos períodos em funcionamento, aumentando a vida útil do equipamento; 
  • Garantia mais longa, quando comparada a monitores domésticos. 

Além disso, existem modelos LFD que dispensam o uso do player/servidor externo, deixando a instalação mais simples e clean. Pois não há necessidade de usar cabos HDMI ou VGA. Assim como não ocupa espaço físico no rack.  

Dessa forma, é possível reduzir em até 30% o investimento em equipamentos. Isso também se reflete na manutenção. Pois essa instalação mais enxuta diminui em até 60% a incidência de quebra dos componentes eletrônicos.  

O potencial da digitalização do PDV no varejo  

Nos dias de hoje, a evolução da digitalização do PDV permite à sua marca destacar-se ao máximo da concorrência.   

Um dos motivos para esse crescimento tem relação com empresas idôneas e inovadoras que atuam no setor. A VTT é uma delas, tendo a maior operação indoor do Brasil.  

Com a tecnologia avançando a um ritmo extremo, constantemente lança novidades para estimular o setor. Entre elas:   

  • Totens touchscreen interativos para pedidos e checkouts,  
  • Menu Board – saiba mais;   
  • Detecção Facial e Medição de audiência;  
  • Lift & Learn;  
  • Music Brand;  
  • Cabideiro inteligente;  
  • Integração ao sistema fiscal e estoque;  
  • Sensores de passagem e presença;  
  • Provador digital e muito mais.  

Além disso, uma das vantagens das soluções VTT, que comprovam a evolução da digitalização do PDV, é o nível de versatilidade e flexibilidade que os recursos oferecem.  

Afinal, a digitalização do ponto de venda é a maneira perfeita de manter a presença digital e física da sua marca em total sinergia, proporcionando aos consumidores uma experiência omnichannel. Muito mais completa, ágil e amplamente satisfatória.  

Existem inúmeras vantagens em apostar na evolução da digitalização do PDV, mas é essencial encontrar parceiros que elaborem projetos personalizados para as necessidades de sua empresa.  

É aí que entra a VTT – saiba mais a seguir.  

Como a VTT pode ajudar sua empresa a digitalizar seus PDVs  

Quando o assunto é evolução da digitalização do PDV, a VTT é referência em todo o Brasil.  

Criada em 1996, a empresa desenvolveu o primeiro software nacional voltado para a digitalização do PDV, o VTSign. Uma solução totalmente customizável, que se adapta às necessidades e dinamismo do varejo.  

Além disso, a VTT investe continuamente em pesquisas, sendo protagonista nesse processo de desenvolvimento do setor.  

Assim, consegue criar novas soluções continuamente. Sempre pensadas para gerar interação, experiência e engajamento dos consumidores nos pontos de venda.   

Atualmente, as soluções VTT estão nas maiores redes de alimentação e varejo do país. Sempre com foco em:   

A VTT é a tradução perfeita da evolução da digitalização do PDV. Com ela, sua empresa tem acesso às soluções mais inovadoras.  

Assim sua marca poderá sempre proporcionar experiências interativas, engajadoras e memoráveis. Algo que muitos varejistas já conquistaram, como você pode conferir em nossos cases de sucesso:  

CASES DE SUCESSO